São Paulo, 13/12/2019        
PÁGINA INICIAL
Florais de Bach para animais
 
ARTIGOS     
 

O modelo de desenvolvimento baseado no lucro e em um consumo de larga escala, provocando um crescimento desordenado e fictício, deixando, não só, mas principalmente, a população urbana passando por seriíssimas crises sócio-ambientais, deteriorando toda a qualidade de vida e gerando uma situação ambiental que é quase irreversível, falando de maneira otimista, PRECISA MUDAR!

Eu não consigo entender como as pessoas passam por um rio todo mal cheiroso, poluído, transformado em vetores de doenças e mal se incomodam. Não entendo como ninguém se escandaliza com os edifícios paliteiros, desumanos, sem planos de saneamento, construções que não possuem fossas sépticas e lançam os dejetos in natura nas águas dos rios, lagos e oceanos acelerando a morte de qualquer tipo de vida aquática. Como entender as crateras e feridas abertas em nossas montanhas, pelas atividades predatórias dos loteamentos e construções nas encostas, além de queimadas, incêndios e desmatamentos que matam nossas matas, bosques e florestas? Alguém me explica porque a maioria das pessoas, mas a grande maioria mesmo, só está preocupada com seu próprio umbigo, não enxergando que esta atitude é um suicídio coletivo? Como que os empresários continuam a jogar os detritos de suas indústrias sem que percam o sono por causa disso? As montanhas de lixo a céu aberto encontradas em todas as cidades, a poluição dos ônibus, caminhões e carros, envenenando toda a nossa atmosfera não deixa você indignado? Até quando a população vai abandonar a zona rural achando que vai encontrar o paraíso na zona urbana?

Trabalho com saneamento, mas ninguém quer sanear porcaria nenhuma! As desculpas são sempre as mesmas! Pegar o rico dinheirinho e investir na recuperação da degradação ambiental? To fora! Ninguém quer saber dessa conversa. Já estou sendo tachado de maluco, de chato, de sonhador e sei lá mais o que!

Ontem fui retirar amostras de um efluente de uma lavanderia hospitalar de uma cidade pequena, mas conhecida no Brasil inteiro. Fiquei estarrecido com o que vi e fotografei. O efluente dessa lavanderia joga em um pequeno riacho tudo quanto é de ruim:

sabão, amaciantes e outros tensoativos em quantidades que é impossível

qualquer ser vivo, VIVER. Seringas, borrachas usadas na transfusão de

sangue, imensos coágulos de sangue são despejados por uma região aonde

vivem animais e pássaros. São 80.000 litros por dia desse efluente que carrega os sintomas de doenças e de morte com ele. Sabe o que ouvi: a natureza cuida!

Bom, fotografei, avisei da seriedade do problema e estou encaminhando tal material para o MP.

Infelizmente, nesse artigo, não tenho espaço suficiente para mostrar todas as fotos. Apenas uma. Quem quiser, mando por e-mail, é só escrever para: wpereira1951@uol.com.br

Agora, a pergunta que não quer calar: POR QUE FAZEMOS O QUE FAZEMOS?

*******
Walter Antonio Pereira
Biólogo - Graduado em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Maringá - PR;
Professor de ciências, matemática e educação sanitária por mais de 7 anos;
Biólogo da "Saneeco", empresa que fabrica, instala equipamentos para tratamento de efluentes domésticos e industriais, biodigestores - Saneeco - www.saneeco.com.br ;
Colunista do site Santa Ignorância ! - www.santaignorancia.com.br;
Responde a perguntas sobre tratamento de efluentes domésticos e industriais, caixa separadora de água e óleo, meio ambiente, etc, no site Posto Ecológico - www.postoecologico.com.br;
Colunista do site Florais e Cia - www.floraisecia.com.br

<<Voltar para página Anterior

 

 

Topo^   

COLUNAS