São Paulo, 22/08/2019        
PÁGINA INICIAL
Florais de Bach para animais
 
ARTIGOS     
 



A vida, tal como a conhecemos, não existiria sem a água,
nossos organismos (animais e vegetais) são formados por enormes percentuais
de água, variando entre 70 a 90%, sendo encontrado em maior quantidade nos
tecidos jovens do que nos tecidos idosos.

A água é a substância mais encontrada na Terra, daí a im-
portância de conhecermos um pouquinho do chamado ciclo hidrológico, ou seja,
conhecermos o caminho que a água percorre no solo, no subsolo, na atmosfera,
através da evaporação e precipitação.

A evaporação é um fenômeno que acontece a partir das
energias solar e eólica (ventos) provocando o escape das moléculas da água
da superfície através do aumento de sua energia cinética (movimento).

A precipitação é quando as moléculas de água se condensam,
aumentando de tamanho (coalescem) e por gravidade, caem na forma de chuva,
neve, granizo, orvalho, geada.

Então, podemos dizer, de maneira simples, que a evaporação
é subir e a precipitação é descer.

A água evapora dos oceanos, rios e lagos, formando as
nuvens e depois voltando para a superfície terrestre e começando tudo de novo,
num ciclo sem fim.

Todos nós achamos que a água é abundante, alguns
diriam que a água é um recurso natural infinito. Não é bem assim. A água de boa
qualidade já começa a faltar em muitos lugares de nosso planeta; hoje já são
mais de 500 milhões de humanos (fora os outros seres vivos que estão no mesmo
barco com a gente!) que sofrem com a escassez de água e as previsões são
piores para o ano de 2050, quando seremos 12 bilhões de humanos (não esque-
ça de nossos irmãos!), nesta espaçonave que não pode parar para reabas-
tecer.

O Brasil, considerado o maior estoque de água doce do
mundo, já tem graves problemas com a falta do líquido da vida. Acontece que
80% de "nossos estoques" estão na região amazônica, aonde vivem aproximada-
mente 7% de brasileiros. Assim sendo, para abastecer os outros 93% dos brasi-
leiros, temos somente 20% da água disponível.

Os motivos principais da escassez da água decorrem
da certeza cultural de que a água é um bem infinito (grande engano!): o cres-
cimento populacional, o desperdício (só os humanos desperdiçam!) e a alte-
ração da qualidade das águas (responda: qual o ser vivo que altera a quali-
dade das águas?).

E como, nós humanos, os únicos seres vivos que con-
seguem alterar a qualidade das águas, fazemos isso? O que leva os humanos
a se comportarem dessa maneira?
Efluente com Gordura (Foto de Afonso Batista)

Os humanos contaminam a água com os dejetos
NÃO TRATADOS provenientes dos esgotos sanitários residenciais e/ou
industriais (tratar os esgotos pra quê? A água é infinita!). Jogamos nossas
fezes, urina, papel, sabão, detergentes, resto de comida e tudo o mais,
diretamente, sem tratamento, nos lagos, rios e as bactérias aeróbias aí
existentes, consomem todo esse material. Porém, as bactérias aeróbias pre-
cisam de um certo tempo e de oxigênio dissolvido na água para sua respira-
ção (DBO). Quando os humanos jogam poluentes demais nos mananciais
aqüíferos, as bactérias aeróbias aumentam em quantidade assustadoramente
(mais comida, mas população!) e consomem mais oxigênio dissolvido na
água, faltando oxigênio e matando os outros seres vivos desse ecossistema,
inclusive elas próprias, num segundo estágio, pela falta de oxigênio (essa
história é muito semelhante com a que está acontecendo com os huma-
nos, não acha?).
Eutrofização

Nessas condições só podem sobreviver as
bactérias anaeróbias (que não precisam de oxigênio para viver) que provocam
reações químicas ao consumirem a matéria orgânica presente, produzindo
mau cheiro, sabor e aspectos indesejáveis.

Outra maneira que os humanos se utilizam
para alterar a qualidade das águas é através dos fertilizantes agrícolas.
Como se não bastasse a devastação das matas e florestas para o
plantio monocultura-assassino, eles empregam enormes quantidades
de fertilizantes e muita irrigação para melhorar as colheitas (cuidado,
mais comida, mais gente!). Evidente que uma parte dessa quantidade
de fertilizantes é levada pelas águas das chuvas e da irrigação até os
rios, lagos, oceanos. Os fertilizantes são nutrientes, eles provocam o
aumento da quantidade de algas e plantas aquáticas (Leia artigo an-
terior: EUTROFIZAÇÃO É PALAVRÃO?). Esse aumento excessivo das
algas e outras plantas aquáticas consomem o oxigênio das águas,
impedem a passagem da luz pela água, determinando a morte de
peixes e outros seres vivos.

Existem outras maneiras que os humanos
encontram para poluir o ciclo hidrológico, como o que faz com o petró-
leo, os compostos orgânicos sintéticos, os compostos inorgânicos mi-
neirais, as substâncias radioativas, o calor, através das águas usadas
no resfriamento de fornos e outras instalações industriais, os sedimen-
tos provenientes da erosão do solo e também do lixo em seus aterros
sanitários e outras atividades humanas.

POR QUÊ FAZEMOS O QUE FAZEMOS?


*******
Walter Antonio Pereira
Biólogo - Graduado em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Maringá - PR;
Professor de ciências, matemática e educação sanitária por mais de 7 anos;
Biólogo da "Saneeco", empresa que fabrica, instala equipamentos para tratamento de efluentes domésticos e industriais, biodigestores - Saneeco - www.saneeco.com.br ;
Colunista do site Santa Ignorância ! - www.santaignorancia.com.br;
Responde a perguntas sobre tratamento de efluentes domésticos e industriais, caixa separadora de água e óleo, meio ambiente, etc, no site Posto Ecológico - www.postoecologico.com.br;
Colunista do site Florais e Cia - www.floraisecia.com.br

<<Voltar para página Anterior

 

 

Topo^   

COLUNAS