São Paulo, 13/12/2019        
PÁGINA INICIAL
Florais de Bach para animais
 
ARTIGOS     
 

"Não sabendo que era impossível, ele foi lá e fez."

(Jean Cocteau - cineasta francês / 1889-1963)
***********************************************************
Ricardo, o pai, 47 anos.

Pedro, o filho, 5 anos.

Como em todos os sábados, Ricardo foi passear com seu filho Pedro. Separado da mãe de Pedro, Ricardo visitava duas vezes por semana seu filho e aos sábados sempre saiam para dar uma caminhada pela cidade. Gostavam especialmente de ir ao parquinho na Praça Olímpica.

Logo que saíram, após alguns metros da casa de Pedro, avistaram um senhor lavando o carro com uma mangueira. Formavam-se poças de água na rua. Aproximaram-se e Pedro disse:

--- Pai, você me disse sábado passado, que é um grande desperdício lavar carros e calçadas com mangueira porque gasta muita água desnecessariamente.

--- Sim, meu filho, são comportamentos como esses que agridem a Natureza. As pessoas, por falta de educação e sensibilidade, acreditam que a água é um bem infinito e isso não é verdade.

O senhor, de mangueira em punho, lavando seu poderoso bem, o carro, disse:

--- E o que é que vocês têm a ver com isso? A água é minha, eu que pago a conta, faço dela o que bem entender!

--- Não meu senhor, a água é de todos nós e atitudes com essa é que estão fazendo com que esse bem tão precioso fique cada vez mais escasso.

Afastaram-se, pois o senhor sentira-se ofendido.

Continuaram a caminhada. Na próxima rua, uma rua quase central, estava tomada de resíduos sólidos por todos os lados. Embalagens vazias de alimentos industrializados, garrafas plásticas de água e refrigerantes, saquinhos plásticos de supermercados, tudo jogado na rua.

--- Pai, o que vai acontecer com todo esse lixo que foi jogado na rua pelas pessoas? Porque elas fazem isso? Eu não consigo entender!

--- Pedro, meu filho, esse lixo, na primeira chuva vai ser carregado para os bueiros, que além de provocar entupimentos e enchentes, vai ser levado para dentro do rio, causando poluição, provocando o aparecimento de insetos e ratos transmissores de graves doenças.

--- Então é por isso que o Rio que passa em nossa cidade é tão fedido?

--- Sim, por isso e também porque as pessoas e as indústrias jogam seus esgotos no rio sem o devido tratamento, matando todos os peixes e quase todas as formas de vida.

--- E porque as pessoas fazem o que fazem?

--- Por falta de educação, de esclarecimento, de informação. A nossa cultura é uma cultura que ensina só a ter e não ensina como ser. São séculos de ensinamento errado e egoísta e é preciso mudar isso tudo.

Caminharam mais algumas quadras e passaram por uma casa enorme, que foi construída pegando uma quadra inteira, cercada de muros altos e com piscina, quadra de tênis e muito quintal cimentado.

--- Pai, os ursos também têm casas como esta?

--- Não meu filho, os animais não têm essa separação entre eles. Todos são iguais. Só os humanos são assim: poucos têm muito e a grande maioria não tem absolutamente nada. Você sabia que bilhões de pessoas no mundo não têm água para beber?

Chegaram ao parquinho. Pedro gostava muito do balanço e do escorregador. Vários pais e mães estavam brincando com seus filhos. Fazia um sol gostoso e convidativo nesta tarde fria de inverno.

--- Pai repare bem: quase todos estão jogando de tudo no chão. Estão sujando nosso parquinho! É papel de sorvete, de pipoca, latinha de refrigerante, garrafas plásticas, tudo jogado no chão. Será que eles não percebem que isso tudo vai acabar poluindo o rio?

--- Não, meu filho, eles simplesmente não sabem. Vamos dar a nossa contribuição. Vamos catar todo esse lixo e jogar naquele latão. Quem sabe as pessoas vão se sensibilizar e ajudar a limpar toda essa sujeira. Você acha que os animais fazem isso?

Depois de algumas horas, voltaram para casa. Ao chegarem, notaram que quase todas as luzes estavam acesas. Televisão, som e computador ligados sem ninguém vendo, ouvindo ou teclando. A torneira do tanque estava com um fio de água.

--- Mãeee! Por favor, assim não é possível! Já não chega o que vi nas ruas? Ou você não sabe que uma torneira com um fio de água, gasta desnecessariamente mais de duzentos litros de água por dia? E para que todas essas luzes acessas? Você já esqueceu do racionamento de anos atrás?

--- Seu pai está deixando você um chato! Já não basta ele? Respondeu a mãe, saindo para fechar a torneira e apagar algumas luzes.

Ricardo, orgulhoso do filho, via uma reportagem na TV. O repórter falava do protesto da torcida corintiana.

--- Pai, porque a torcida do Corinthias está protestando?

--- É porque o Corinthias está em último lugar na tabela do campeonato brasileiro.

--- Pai, já pensou se as pessoas se reunissem para protestar contra essa situação de degradação do meio ambiente?

Ricardo mais orgulhoso ainda, respondeu:

--- Seria maravilhoso, meu filho. Uma grande passeata para apreendermos nova ética ambiental. Todos os jornais, televisões, rádios ensinando como comportar-se adequadamente para impedirmos que essa degradação continuasse. Somente através da educação é que teremos salvação.

Ricardo despediu-se de todos. Saiu entristecido com toda essa situação e lembrou-se de um trecho do livro de Daniel Quinn, ISMAEL, um Romance da Condição Humana:

"A primeira vez que li o anúncio, engasguei, xinguei e atirei o

jornal no chão. Como nem isso pareceu bastar, apanhei-o de novo, marchei até

a cozinha e joguei-o no lixo. Já que estava lá, preparei uma pequena refeição

matinal e deixei que o tempo me acalmasse. Comi e pensei em assuntos

totalmente diversos. Isso aí. Depois tirei o jornal do lixo e o abri na seção de

Classificados Pessoais, só para ver se o maldito anúncio continuava lá, do jeito

que me lembrava dele. Continuava.

PROFESSOR procura aluno. Deve ter um desejo sincero de salvar o

mundo. Candidatar-se pessoalmente."



Chegando a casa, Ricardo abriu sua caixa de mensagens. Entre os e-mails tinha um de Marcela, sua filha que mora nos USA. Pai clique aí!

http://www.youtube.com/watch?v=tLeRhjgN_M0&search=ecologia
(Obs.: copie o link acima, coloque em procurar e clique,para abrir).
*******

Walter Antonio Pereira
Biólogo - Graduado em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Maringá - PR;
Professor de ciências, matemática e educação sanitária por mais de 7 anos;
Biólogo da "Saneeco", empresa que fabrica, instala equipamentos para tratamento de efluentes domésticos e industriais, biodigestores - Saneeco - www.saneeco.com.br ;
Colunista do site Santa Ignorância ! - www.santaignorancia.com.br;
Responde a perguntas sobre tratamento de efluentes domésticos e industriais, caixa separadora de água e óleo, meio ambiente, etc, no site Posto Ecológico - www.postoecologico.com.br;
Colunista do site Florais e Cia - www.floraisecia.com.br






















<<Voltar para página Anterior

 

 

Topo^   

COLUNAS